16244394_899737710128914_782229284_n

Sou a Dienifer e to aqui pra compartilhar contigo minhas experiências, gostos e o olhar que tenho para o mundo. Durante a minha vida inteira senti uma vontade imensa de falar para as pessoas tudo aquilo que me inspira a ser um alguém melhor, tudo que aprendi e vivi desde então; sinto sede de ouvir o que os outros tem a dizer, de conhecer novas histórias e lugares. Eu vivo pra conhecer o novo e o novo vem pra fazer mudança em mim.

Nasci em Campo Bom, uma cidade pequena do Rio Grande do Sul, tchê! Ela fica a uns 60km de distância de POA. Era uma tarde fria de 1997 quando a minha mãe, deitada no mesmo leito onde, a 20 anos antes minha vó dava a luz à ela, agora me concebia. Louco né? E foi tudo pura coincidência. Aos 2 anos vim parar em Fortaleza, no Ceará, junto aos meus pais e moro aqui desde então.

rio-senna

Fatos avulsos sobre mim:

Sou de família simples, descendente de índios e alemães. Não falo mais que um idioma mas arranho um pouco no inglês. Sou ruiva há quase cinco anos. Amo catioros e desde que descobri essa palavra não consigo mais falar cachorro. Não como carne de porco. Tenho preguiça de colocar meia e mais preguiça ainda de calçar tênis com cadarço. Amo mudanças radicais. Adoro patinar. Sonho em ver neve de verdade, conhecer NYC, viajar pra África e desejo aprender o máximo de idiomas que eu puder. O que mais almejo na vida é ser independente. Felicidade pra mim é ser e não ter. Não consigo escrever absolutamente nada no computador ou celular se alguém estiver olhando. O que mais me machuca e irrita na sociedade é o machismo. Cumprimento e puxo papo com todos na rua mas faço de poucos meus amigos, fazer o quê, aprendi na marra a ser seletiva. Não gosto de dormir sozinha. Meu maior medo é não existir vida após a morte. Aprendi a gostar de ler aos 14 anos. Amo tatuagens sem cor. Minha estação predileta é o outono, mas aqui em Fortaleza é verão o ano inteiro. Tenho esperanças de algum dia ir para o espaço e pousar em outro planeta. Nunca quis ter uma festa de quinze anos. Cortar cabelo é uma terapia na minha vida. Raramente saio da tabela de cores neutras. Meu sonho de consumo é um apartamento planejado e decorado do jeito que imagino na bagunça dos meus pensamentos. Meu armário e quarto tão sempre desorganizados, mas meu celular, computador, cadernos e anotações estão sempre super organizados. Quero fazer muitas faculdades e em diferentes países. Me encontrei no jornalismo aos quatorze anos graças à jornalistas de beleza. Amo chorar de felicidade até soluçar e comida pra mim tem que ser muito bem temperada.